Relacionamento: como lidar com as finanças do casal

É muito comum que os casais discutam sobre diversos temas antes de o relacionamento atingir um nível avançado. Onde irão morar, se terão ou não filhos, se haverá uma festa de casamento ou se a união será celebrada de uma forma intimista, etc. Mas, muitas vezes, o casal acaba esquecendo de debater um importante assunto: como lidar com as questões financeiras.

Encarar os objetivos financeiros de forma séria a dois pode garantir não só a saúde financeira do casal, mas, também ditar com mais perenidade o futuro do relacionamento. A decisão conjunta de gastar conscientemente, de ter uma reserva de emergência, de construir juntos a independência financeira e de investir bem as economias de cada um, deve ser discutida de forma aberta e franca desde o início.

Algumas atitudes diárias podem auxiliar o casal nessa jornada e fazer toda a diferença: controlar os gastos com consciência de quanto o casal recebe de receita individualmente e total; divisão das despesas mensais; entrar em acordo com os gastos domésticos; separar uma reserva para as compras pessoais; dentre outras.

O passo seguinte, para encarar uma jornada no mundo dos investimentos, inclusive, pode ficar muito mais interessante quando pensado e realizado a dois. O conhecimento sobre os produtos financeiros, o acompanhamento da rentabilidade e aquela sensação de ver a reserva financeira do casal crescendo de forma consciente e recorrente ao longo do tempo, pode reforçar ainda mais a união do casal.

Por fim, cuidar da vida financeira a dois pode trazer maior tranquilidade para que as duas partes se dediquem realmente ao que realmente importa: a realização dos sonhos e uma vida a dois cada vez mais plena.

COLUNA 1

Projeto de vida

É importante que o casal visualize um futuro a dois e tenham sintonia para poder alcançar cada meta. Entender o que os dois querem alcançar individualmente, mas também em conjunto é o que vai ditar os objetivos do relacionamento.

COLUNA 2

Respeito e cumplicidade

Entender e respeitar o ponto de vista de cada um é essencial. Algo que pode parecer supérfluo para você, pode não ser para seu companheiro (a), portanto, antes de tudo, tente apresentar suas rações e principais motivos para que façam uma boa economia ao invés de alimentarem despesas desnecessárias.

Luciana Ikedo (@lucianaikedo) é assessora de investimentos com certificação CFP®, MBA Internacional pela FGV, com extensão na Ohio University (EUA) e em Finanças pelo Ibemec/Insper.



Deixe uma resposta

Top